Família Wanderley

A família Wanderley possui bastante descendentes no Brasil. Este sobrenome foi disseminado pelos holandeses principalmente por aqui e por isso tem bastante força dos brasileiros. Confira abaixo um pouco mais da história e curiosidades dos Wanderley.

O sobrenome Wanderley, assim como tantos outros, não surgiu no Brasil, por uma simples razão de que o Brasil foi colonizado e habitado primeiramente por estrangeiros. Dessa forma, os sobrenomes vêm de outros países e acabam ganhando popularidade uma vez que os imigrantes fizeram do Brasil sua nova morada.

Origem da família Wanderley

Este é um sobrenome de origem holandesa. Ele é classificado como um toponímico, ou seja, de origem geográfica. Mesmo assim, como a maioria dos sobrenomes toponímicos, este não surgiu diretamente de uma região, como “Fulano de Coimbra” ou outros do tipo. Veja abaixo como o sobrenome foi constituído.

Ele é uma alteração gráfica do original Vanderley. Esta vem da junção de Van der Ley ou Lei, das ardósias, das lousas (espécie de rocha) ou da família dos que trabalham com ardósias.

Em Pernambuco, Kaspar Von der Ley, natural da Alemanha, em serviço na Holanda, passou a Kaspar Van der Ley. Convertido ao catolicismo casou-se com a pernambucana D. Maria de Melo, com a qual teve seus descendentes. O sobrenome foi evoluindo ao longo do tempo até ganhar uma forma mais simples e diferenciada.

Curiosidade

No Brasil, o nome Wanderley é mais utilizado como nome próprio do que como sobrenome. Inicialmente, ao que parece, este foi criado como sobrenome, mas se popularizou também como primeiro nome na forma masculina.

Variantes do sobrenome Wanderley

Das variantes para Wanderley podemos destacar a sua forma mais original Vanderley. Ambos são usados como sobrenome de uma forma bem popular, não podendo assim saber qual deles tem mais incidência entre os descendentes.

Brasão da Família Wanderley

Não foi encontrado um modelo de brasão oficial para os Wanderley. Ao que se sabe, este é um sobrenome relativamente recente e por isso não foi reconhecido ao ponto de se conceber um brasão das armas. É possível que este brasão exista, mas ainda não foi reconhecido como brasão oficial das armas da família Wanderley e por isso também não se popularizou.



Este site lhe foi útil? Clique no G+1. É muito importante pra nós. Obrigado!
Compartilhe com seus amigos...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

9 Comentários

  1. Daniel Krahembuhl Wanderley says:

    Do que conheço pelo histórico da família, o brasão dos Wanderley é o seguinte: https://cache-assets.flogao.com.br/photos/full/4828389.jpg

  2. Pesquisador Onomástico says:

    O único documento original conhecido até hoje escrito em letras elegantes e assinado pelo próprio Capitão de Cavalaria Caspar von Neuhoff von der Ley é o “ALBUM AMICORUM” (Álbum dos Amigos) organizado pelo alemão Johann Philipp Mülheiser, quando este servia no Brasil (Holandês) como porta-bandeira. Hoje este álbum está no Arquivo Nacional da Haia (Nationaal Archief Den Haag – Centraal Bureau voor Genealogie), onde pode ser consultado. O Capitão de Cavalaria Caspar von Neuhoff von der Ley assinou-se nesse documento como Caspar von Niehoff, genant Ley (sic) em 1642, portanto um ano em que já estaria em Pernambuco e se havia tornado Senhor do engenho Algodoais, situado no Cabo de Santo Agostinho.
    A expressão “genant” em alemão dialectal da Vestefália é o particípio passado do verbo ‘nennen’ e significa em português ‘dito’. Esta expressão faz parte do nome da família como se pode ver em https://de.wikipedia.org/wiki/Burg_Eibach e no ‘link’ https://de.wikipedia.org/wiki/Neuhoff_(Adelsgeschlecht)). A referência à família de senhores feudais da Haus Ley numa imagem mostrando as ruínas do castelo Eibach consta a seguinte informação: Im 15. Jahrhundert und 16. Jahrhundert befand sich das Gut im Besitz der Ritterfamilie von Neuhoff, genannt Ley. Danach wurde es von der Familie Seraing übernommen. Tradução: No Século 15 e Século 16 esta propriedade encontrava-se na posse da família feudal von Neunhoff, dita Ley. Logo depois ela foi comprada pela família Seraing. Isto demonstra bem que o Capitão de Cavalaria Caspar von Neuhoff genannt Ley nada tem a ver directamente com os Países Baixos e ainda menos com a província Friesland dos Países Baixos. Todavia há um dos ramos da família von Neuhoff que havia sido “Drost” (administradores) na Ostfriesland (Frísia Oriental), a qual hoje faz parte da Baixa-Saxónia (Alemanha), mesmo ao lado da Fríesland neerlandesa. Provavelmente foi dessa relação que surgiu o mito de origem frísia do nome van der Ley.

  3. Wilhelm Zetzsche says:

    O nome de família “VanderLey” escrito muitas vezes erroneamente “Wanderley” com a inicial “w” (vê-dobrado). Para se tirar o significado do nome “VanderLey” é necessário separar os elementos que o compõem. Este nome é a forma aglutinada de “van der Ley” que se constituiu com a preposição “van” (baixo-alemão, frâncico), corresponde à preposição “de” do português. O elemento “der” é o artigo feminino no dativo corresponde ao artigo feminino em português “a” e o elemento “Ley” é um substantivo feminino (médio-alto-alemão, renano), cuja origem é pouco clara. Este substantivo ortograficamente deve ser escrito no singular “Lei” (pronuncia-se em português «lai», no plural “Leien”. O substantivo “Lei” no singular significa em alto-alemão (Hochdeutsch) 1. Schiefer (ardósia em português) e 2. Fels (rocha em portu-guês). Segundo Hans Bahlow, autor do “Dicionário Alemão de Apelidos” (Deutsches Namenlexikon), documentalmente existe no dialecto renano o apelido (nome de família): Leyen, von der (renano), “ley” significa «ardósia» (rocha), como em Leyen-decker (renano). Este apelido indica alguém ou família que vivia junto a uma louseira (lugar onde se extraem lousas, sinónimo de ardósias). Repare-se que o substantivo está empregado no plural (Leyen), de modo que não corresponde ao nosso VanderLey que está no singular “Ley”. Portanto, a relação do nome “VanderLey” com um presumível topónimo “Ley” (em português corresponderia a “Lousada”) ou “ardósia” fica afastada. Para esclarecer está situação o mesmo autor Hans Bahlow no seu dicionário tem os seguintes verbetes: 1. Ferley: igual a Verley, em Wetzlar, documentalmente «filho ou marido da senhora Lye, Leye «igual a Elisabeth, Gernand Ver(n)Lyen (Lye, Leye 1286 em Wetzlar, filha: Lye. Contudo, o norte-renano Verley é igual a Van der Leye como Verbeek, Vermeer e outros. 2. Verleih, Verley (Hesse): forma metronímica igual a filho da senhora Leye (Lye), este designativo é o mesmo que Elisabeth nos meios da nobreza aristocrática de Hesse.
    Como se sabe que o precursor da família e, consequentemente, do nome de família “Van der Ley” com a forma aglutinada “Vanderley” no Brasil teria sido o capitão Kaspar Nieeuwhof van der Leij, torna-se evidente pelo seu nome completo que era originário da nobreza aristocrática de Hesse e Nassau, tal como a família real neer-landesa de então e ainda hoje. Quem possui o nome de família “Vanderley” pode aderir ou tirar a interpretação que melhor entender das proposições aqui expostas.

    Foi dos meus contactos com o falecido Eng.º Ivo Ricardo Wanderley (do Rio de Janeiro) por causa da página “Barão de Benfica” na Wikipedia que me fez despertar o interesse em fazer a interpretação onomástica do apelido “VanderLey”. Infelizmente com a sua morte o site: http://www.irwanderley.eng.br/souzaleao/souzaleao.htm
    Igualmente desapareceu.

  4. Marivaldo Holanda Montenegro says:

    Qual é a origem do sobrenome Holanda?

  5. Bianca dos Santos Vanderlei says:

    Meu sobrenome é VANDERLEI e eu gosto

  6. Ranna says:

    meu nome é Wanderleia e eu ñ suporto este nome será q é muito caro pra mudar?

    • Elizabete Bilro says:

      A família Vanderley é originária da Frísia,província do norte dos Países Baixos.Ou seja,o Capitão de Cavalaria Kaspar Van der ley poderia ter nascido em Kleves(Alemanha),mas a sua família era natural da Frísia,pois muitas famílias holandesas imigraram para Kleves por ficar na fronteira com os Países Baixos.Por sua vez,Arnau de Holanda era natural da província de Utrecht,o sobrenome Holanda era pelo motivo do mesmo ter vindo dos Países Baixos,bem como em Portugal era comum dar-se ao habitante daquele país o nome de Antônio de Holanda ou Pedro de Holanda, entre outros.Segundo estudiosos holandeses Arnau de Holanda chamava-se Arnold Hendriksz ou Arnoldo filho de Henrique.

      • Pesquisador Onomástico says:

        Interpretação de um trecho (logo não é cópia fiel) do livro de Robert Czoelner em que se diz:
        A assinatura autêntica do capitão Caspar von Niehoff genannt Ley
        A única assinatura autêntica do capitão Caspar von Niehoff genannt Ley feita durante o seu tempo de vida no Brasil se encontra no “ALBUM AMICORUM” (Álbum dos Amigos) do alemão Johann Philipp Mülheiser que servia no Brasil (Holandês) como porta-bandeira. Caspar pôs a sua assinatura neste álbum quando era Senhor de um engenho chamado Algodoais, situado no Cabo de Santo Agostinho, ano 1642. Ele assinou-se como “Caspar von Niehoff genannt Ley”. Existem algumas cartas dele no Arquivo Nacional de Haia (designado em neerlandês: Nationaal Archief Den Haag – Centraal Bureau voor Genealogie), mas parecem ser cópias e até traduções em Neerlandês, porque a letra é bem diferente e ele assina naquelas cartas como “Caspar van der Leij” (trata-se visivelmente de uma naturalização induzida).

        Comentário: As transcrições ou traduções em neerlandês ou holandês, como se diz no excerto acima, devem ter sido realizadas muito “intempestivamente”, porque omitem, sem qualquer explicação, o nome de família (Übername): von Niehoff relativo à origem nobre (Patrizierhaus) da pessoa em questão. A forma neerlandesa do nome de família “van der Leij” torna evidente uma naturalização extemporânea forçada. O termo “natu-ralização” aqui significa, acção de transportar uma palavra, uma expressão de uma língua para outra (nacionalização). / Niehoff é um nome de família (= apelido em Portugal, no Brasil = sobrenome) formado no Baixo-Alemão (vestefálico-norte-renano), logo nada tem a ver com o Holandês e tão pouco com o Neerlandês (Nederlands) de hoje.

        O precursor da família e, consequentemente introdutor do nome de família “van der Ley” com a forma justaposta “Vanderley” empregada pelos brasileiros, como se sabe teria sido o capitão Caspar von Niehoff van der Ley; assim fica claro através do mencio-nado nome que a personagem em questão seria originária da nobreza aristocrática de Hesse. Segundo pesquisas genealógicas realizadas pelo falecido Eng.º Ivo Ricardo Wan-derley (do Rio de Janeiro) o seu antepassado Caspar von Niehoff van der Ley nasceu por volta de 1595 em Eibach próximo a Gimborn, onde o seu pai teria sido Marechal na corte do Duque de Cleves, onde o Conde João Maurício de Nassau-Siegen (O Brasileiro) morreu em 1679.
        No tempo do Capitão Caspar von Niehoff van der Ley, o território Frísio (Frieslande) estendia-se pelo litoral do Mar do Norte entre a Holanda (hoje Holanda do Sul e Holanda do Norte) até ao território da Jutlandia (fronteira da hoje Alemanha então território do Sacro Império Romano Germânico com a actual Dinamarca). Acontece que Eibach (Gimborn/ Marienheide), onde o Capitão Caspar von Niehoff van der Ley nasceu, fica cerca de 70 km de Siegen (terra de Maurício de Nassau-Siegen) do que de Cléves/Kleve (cerca de 180 km), onde o pai do Capitão Caspar von Niehoff van der Ley servia. A designação Ley era um dos nomes da propriedade (Hof) da família von Niehoff genannt Ley (o nome aqui Ley é uma forma derivada do nome próprio Elisabeth). Portanto, dificilmente o Capitão Caspar von Niehoff van der Ley terá algo a ver com alguma família “Van Der Leij” que viveu ou vive na Província Frislân do actual país chamado Países Baixos (a Holanda faz parte dos Países Baixos que incluía a Bélgica e também o Luxemburgo). O inimigo dos Holandeses durante a Guerra dos Oitenta Anos (terminada em 1648) era o Império Espanhol (através do Rei de Espanha Filipe II) e não os povos dos muitos estados alemães entre os quais também os próprios holandeses estavam. Apesar de a dita República das Sete Províncias Unidas destoar entre os estados monárquicos do Sacro Império, o qual só foi desmantelado em 1806 por Napoleão. Em 1815 a monarquia neerlandesa foi restaurada absorvendo a parte da Frísia neerlandesa o resto dos territórios frísios ficou a pertencer à Prússia (o país chamado Alemanha só existe desde 1871). Como se vê, de modo algum os ancestrais dos “Vanderley” brasileiros têm origem frísia.

Deixe um comentário